Antropofagia em dois tempos

inverter a história, tensionar o presente

Palavras-chave: História Intelectual, Historiografia brasileira, Literatura brasileira

Resumo

Neste artigo, buscamos desdobrar um exercício de aproximação entre as obras de Oswald de Andrade e Haroldo de Campos por meio da incorporação e compartilhamento de certo gesto antropofágico frente à história. Interessa-nos, particularmente, analisar como os dois autores mobilizavam extratos de historicidade para cumprir o objetivo de um tensionamento da história e da temporalidade. Para tanto, recorremos a ensaios e textos críticos dos dois escritores, analisando como no interior de seus projetos “historiográficos” – seja na errática oswaldiana ou no paideuma haroldiano - a história é investida de uma potência reflexiva e disruptiva para o presente. Desse modo, o horizonte de uma historiografia antropofágica parece possibilitar a emergência de passados silenciados e uma espécie de rearranjo sincrônico, tanto retrospectivo quanto utópico. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mauro Franco Neto, Universidade Federal de Ouro Preto

Mestre em História pela PUC-Rio (2015). Doutorando em História pela UFOP onde desenvolve pesquisa sobre as relações entre história e vida em autores brasileiros e mexicanos.

Henrique Pinheiro Costa Gaio

Doutor em História pela PUC-Rio. Realizou pós-doutorado na Universidade Federal de Ouro Preto (2015-2016), com período de pesquisa na Stanford University.

Referências

ABENSOUR, Miguel. O novo espírito utópico. Campinas: Editora da Unicamp, 1990.

AGUILAR, Gonzalo. Poesia concreta brasileira: As Vanguardas na Encruzilhada Modernista. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005.

AGUILAR, Gonzalo. Por una ciencia del vestigio errático: Ensayos sobre la Antropofagia de Oswald de Andrade. Buenos Aires: Grumo, 2010.

ANDRADE, Oswald de. Uma adesão que não nos interessa. Revista de Antropofagia, n°10, tomo II, 12 de junho, 1929.

ANDRADE, Oswald de. A crise da filosofia messiânica. In: ANDRADE, Oswald de. Do pau-brasil à antropofagia e às utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978a. [Texto original de 1950.]

ANDRADE, Oswald de. A marcha das utopias. In: ANDRADE, Oswald de. Do pau-brasil à antropofagia e às utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978b. [Coletânea de textos publicados originalmente no Estado de São Paulo, em 1953.]

ANDRADE, Oswald de. A arcádia e a Inconfidência. In: ANDRADE, Oswald de. Do pau-brasil à e às utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978c. [Texto original de 1945.]

ANDRADE, Oswald de. Os dentes do dragão (entrevistas). São Paulo: Globo, 1990. [Entrevistas concedidas entre 1922 e 1954]

ANDRADE, Oswald de. A reabilitação do primitivo. In: ANDRADE, Oswald de. Estética e política. São Paulo: Globo, 1992. [Texto original de 1954]

ANTELO, Raúl. A Aristocracia do Bombástico. In: MOTTA, Leda Tenório da (org.). Céu acima: para um ‘tombeau’ de Haroldo de Campos. São Paulo: Perspectiva; FAPESP, 2005.

AZEVEDO, Beatriz. Antropofagia: palimpsesto selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

CAMPOS, Haroldo de. Olho por olho a olho nu (manifesto). In: CAMPOS, Augusto de; PIGNATARI, Décio; CAMPOS, Haroldo de. Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos 1950-1960. Cotia, SP: Ateliê Editorial, 2006. [Texto original de 1956].

CAMPOS, Haroldo de. Poética sincrônica. In: CAMPOS, Haroldo de. A arte no horizonte do provável. São Paulo: Perspectiva, 2010a. [Texto original de 1969].

CAMPOS, Haroldo de. Da razão antropofágica: diálogo e diferença na cultura brasileira. In: CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 2010b. [Texto original de 1980].

CAMPOS, Haroldo de. O Geômetra Engajado. In: CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 2010b. [Conferência pronunciada originalmente em 1963].

CAMPOS, Haroldo de. Da tradução como criação e como crítica. In: CAMPOS, Haroldo de. Metalinguagem & outras metas: ensaios de teoria e crítica literária. São Paulo: Perspectiva, 2010b. [Texto apresentado em 1962, publicado em 1963].

CAMPOS, Haroldo de. Tradução, Ideologia e História. In: TÁPIA, Marcelo; NÓBREGA, Thelma Médici (org.). Haroldo de Campos – Transcriação. São Paulo: Perspectiva, 2013. [Texto original de 1983].

CAMPOS, Haroldo de. Poesia e modernidade: da morte da arte à constelação. O poema pós-utópico. In: CAMPOS, Haroldo de. O arco-íris branco: ensaios de literatura e cultura. Rio de Janeiro: Imago Ed., 1997 [Texto original de 1984].

CAMPOS, Haroldo de. De Babel a Pentecostes. In: FABBRINI, Regina e OLIVEIRA, Sergio Lopes (org.). Interpretação (Série Linguagem). São Paulo: Editora LOVISE, 1998.

CAMPOS, Haroldo de. Deus e o diabo no Fausto de Goethe. São Paulo: Perspectiva, 1981.

CASTRO, Eduardo Viveiros de. Prefácio. In: AZEVEDO, Beatriz. Antropofagia: palimpsesto selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

CASTRO ROCHA, João Cezar de. Uma teoria de exportação? Ou “Antropofagia como visão de mundo”. In: CASTRO ROCHA, João Cezar de. Antropofagia hoje? Oswald de Andrade em cena. São Paulo: E-realizações, 2011.

COUTINHO, Afrânio. Introdução à Literatura no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Distribuidora de Livros Escolares LTDA, 1975.

DE CARLI, Felipe Augusto Vicari. O matriarcado no programa antropofágico: Oswald de Andrade, leitor de Bachofen. Dissertação (Mestrado em Letras) – Curso de Pós-Graduação em Literatura – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2016.

FINAZZI-AGRÒ. A identidade devorada. Considerações sobre a antropofagia. In: CASTRO ROCHA, João Cezar de. Nenhum Brasil existe: pequena enciclopédia. Rio de Janeiro: Topbooks, 2003.

FONSECA, Maria Augusta. Oswald de Andrade: biografia. São Paulo: Art Editora, 1990.

HELENA, Lucia. Totens e tabus da modernidade brasileira: símbolo e alegoria na obra de Oswald de Andrade. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro/UFF, 1985.

LAGES, Susana Kampff. Walter Benjamin: tradução e melancolia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2007.

LIMA, Luiz. História. Ficção. Literatura. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

MATOS, Olgária. Babel e Pentecostes: Heterofilia e Hospitalidade. In: MOTTA, Leda Tenório da (org.). Céu acima: para um ‘tombeau’ de Haroldo de Campos. São Paulo: Perspectiva; FAPESP, 2005.

NUNES, Benedito. Antropofagia ao alcance de todos. In: Oswald de Andrade. Do pau-brasil à antropofagia e às utopias. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

NUNES, Benedito. Oswald canibal. São Paulo: Ed. Perspectiva, 1979.

RANGEL, Marcelo. Modernidade história a partir de Walter Benjamin e Derrida. Tese (Doutorado em Filosofia) – Instituto de Filosofia e Ciências Humanas – Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2015.

RODRIGUES, Henrique Estrada. A utopia no tempo, o tempo na utopia. (mimeo).

RODRIGUES, Henrique Estrada. A utopia do mínimo que resta: o lance dos lances do velho Haroldo. Viso: Cadernos de estética aplicada, v. X, n. 21 (jul-dez/2017), pp. 69-90.

RUNIA, Eelco. Presence. History and Theory, 45, (February 2006).

STIELTJES. Claudio. A Ironia em A Utopia de Thomas More: ideologia e história. Tese (Doutorado em Filosofia) – Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.

TÁPIA, Marcelo. O eco antropofágico: reflexões sobre a transcriação e a metáfora sanguíneo-canibalesca. In: TÁPIA, Marcelo; NÓBREGA, Thelma Médici (org.). Haroldo de Campos – Transcriação. São Paulo: Perspectiva, 2013.

TONETO, Diana Junkes Martha. Entre a invenção e a tradição: história e utopia no projeto poético de Haroldo de Campos. IPOTESI (UFJF. IMPRESSO), v. 12, p. 95-105, 2008.

WHITE, Hayden. The future of utopia in history. Historein, v.7. 2007.

Publicado
2020-04-12
Como Citar
NETO, M. F.; GAIO, H. P. C. Antropofagia em dois tempos: inverter a história, tensionar o presente. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 13, n. 32, p. 185-220, 12 abr. 2020.
Seção
Artigo