Pintura de uma paisagem

Itinerários na correspondência entre Oliveira Lima e Fidelino de Figueiredo (1912-1928)

Teresa Malatian

Resumo


Este artigo pretende analisar a correspondência trocada por M. de Oliveira Lima e Fidelino de Figueiredo, como parte de sociabilidades intelectuais construídas por meio da Sociedade Portuguesa de Estudos Históricos, entre 1912 e 1928. Os conceitos de geração, itinerário e projeto foram aqui utilizados com base nos aportes de P. Bourdieu e J.F.Sirinelli na análise do campo intelectual em que se inseriram esses autores. Trata-se de um sistema regido por relações específicas, com instâncias particulares de seleção e consagração intelectual. Nesse sentido, considera-se que a autonomia do campo intelectual é relativa, por ser afetado não apenas por relações específicas, mas também pelas pressões políticas, econômicas e sociais que interferem no projeto criador, desde sua proposição até as instâncias de consagração de seu autor. O principal projeto historiográfico analisado foi o das obras D. Pedro e D. Miguel e D. Miguel no trono, escritas por M. de Oliveira Lima.


Palavras-chave


Campo historiográfico; Cultura historiográfica; História intelectual

Texto completo:

10-28


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i19.888

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia