Itinerários na correspondência entre Oliveira Lima e Fidelino de Figueiredo (1912-1928)

  • Teresa Malatian UNESP, campus de Franca
Palavras-chave: Campo historiográfico, Cultura historiográfica, História intelectual

Resumo

Este artigo pretende analisar a correspondência trocada por M. de Oliveira Lima e Fidelino de Figueiredo, como parte de sociabilidades intelectuais construídas por meio da Sociedade Portuguesa de Estudos Históricos, entre 1912 e 1928. Os conceitos de geração, itinerário e projeto foram aqui utilizados com base nos aportes de P. Bourdieu e J.F.Sirinelli na análise do campo intelectual em que se inseriram esses autores. Trata-se de um sistema regido por relações específicas, com instâncias particulares de seleção e consagração intelectual. Nesse sentido, considera-se que a autonomia do campo intelectual é relativa, por ser afetado não apenas por relações específicas, mas também pelas pressões políticas, econômicas e sociais que interferem no projeto criador, desde sua proposição até as instâncias de consagração de seu autor. O principal projeto historiográfico analisado foi o das obras D. Pedro e D. Miguel e D. Miguel no trono, escritas por M. de Oliveira Lima.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Teresa Malatian, UNESP, campus de Franca
Docente Titular pelo Departamento de História da Faculdade de Ciências Humanas e Sociais. Atualmente  vinculado ao Corpo Permanente do Programa de Pós-Graduação em História da mesma Faculdade, UNESP, campus de Franca.
Publicado
2016-06-03
Como Citar
MALATIAN, T. Itinerários na correspondência entre Oliveira Lima e Fidelino de Figueiredo (1912-1928). História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 8, n. 19, 3 jun. 2016.
Seção
Artigo