Para um conceito moderno de imaginação: a imaginação do ponto de vista kantiano

  • Eugenia Gay Universidad Nacional de Quilmes
Palavras-chave: Imaginação, Ciência, Immanuel Kant

Resumo

Este trabalho apresenta uma avaliação crítica da discussão na qual foi produzido o conceito kantiano de “imaginação”, como proposta de conhecimento e como projeto político-pedagógico. A hipótese sustentada é a de que a divisão da produção filosófica de Immanuel Kant e dos filósofos que participaram da discussão entre escritos teóricos e escritos políticos prejudica a compreensão do debate, resultando em uma concepção unilateral e oposicional do conceito moderno de imaginação. Para mostrar a unidade do debate, o artigo se concentra nos argumentos filosóficos desenvolvidos por Kant nos escritos pré-críticos e nas duas edições da Crítica da razão pura, contrastando-os com o conjunto da discussão da sua época. Embora os trabalhos de outros filósofos recebam menos atenção, o artigo espera tornar visível o caráter dialógico do trabalho teórico de Kant.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eugenia Gay, Universidad Nacional de Quilmes
Doctora em História Social da Cultura pela PUC-Rio. Atualmente becaria CONICET, Centro de Historia Intelectual, Universidad Nacional de Quilmes, Argentina.
Publicado
2015-09-14
Como Citar
GAY, E. Para um conceito moderno de imaginação: a imaginação do ponto de vista kantiano. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 8, n. 18, 14 set. 2015.
Seção
Artigo