Pintura de uma paisagem

Para um conceito moderno de imaginação: a imaginação do ponto de vista kantiano

Eugenia Gay

Resumo


Este trabalho apresenta uma avaliação crítica da discussão na qual foi produzido o conceito kantiano de “imaginação”, como proposta de conhecimento e como projeto político-pedagógico. A hipótese sustentada é a de que a divisão da produção filosófica de Immanuel Kant e dos filósofos que participaram da discussão entre escritos teóricos e escritos políticos prejudica a compreensão do debate, resultando em uma concepção unilateral e oposicional do conceito moderno de imaginação. Para mostrar a unidade do debate, o artigo se concentra nos argumentos filosóficos desenvolvidos por Kant nos escritos pré-críticos e nas duas edições da Crítica da razão pura, contrastando-os com o conjunto da discussão da sua época. Embora os trabalhos de outros filósofos recebam menos atenção, o artigo espera tornar visível o caráter dialógico do trabalho teórico de Kant.

Palavras-chave


Imaginação; Ciência; Immanuel Kant

Texto completo:

75-92


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i18.810

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia