Fontes literárias da cultura brasileira para a história dos saberes psicológicos

  • Marina Massimi USP
Palavras-chave: História cultural, Historiografia jesuítica, Retórica

Resumo

Neste artigo é discutida a utilização das fontes literárias no âmbito da história dos saberes psicológicos. Em primeiro lugar, apresenta-se a contribuição de Dilthey e de Huizinga na discussão das interfaces entre história, psicologia e literatura. Em segundo lugar, apresenta-se um exemplo de análise de fonte literária no âmbito da história dos saberes psicológicos: o estudo da novela alegórica do jesuíta Alexandre de Gusmão, História do Predestinado Peregrino e de seu irmão Precito (1682). Aponta-se que a fonte literária pode ser enfocada da perspectiva da história dos saberes psicológicos, seja por ser transmissora de conceitos e práticas psicológicos, seja pela ação exercida no dinamismo psíquico dos destinatários por meio de sua construção retórica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marina Massimi, USP

Especialista em história dos saberes psicológicos. Departamento de Psicologia. USP. Ribeirão Preto.

Presidente Sociedade Brasileira de Psicologia.Membro Academia Ambrosiana, classe estudos da Idade Moderna

Publicado
2015-04-29
Como Citar
MASSIMI, M. Fontes literárias da cultura brasileira para a história dos saberes psicológicos. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 8, n. 17, 29 abr. 2015.
Seção
Artigo