Pintura de uma paisagem

Uma revisão crítica das fontes historiográficas para a história do Império Parto (247 a.C. – 228 d. C.): o caso de Apolodoro de Artemita e Arriano de Nicomédia

Henrique Modanez de Sant'Ana

Resumo


Este artigo está vinculado ao crescente interesse crítico pelo Império Parto e tem como objetivo discutir duas das principais fontes historiográficas para a história dessa unidade política nascida em 247 a.C., após a vitória militar sobre os selêucidas: Apolodoro de Artemita e Arriano de Nicomédia. A escolha desses dois historiadores antigos (cada qual com sua Parthica) deve-se aos fatos de que Apolodoro foi o primeiro a registrar a manipulação da ancestralidade aquemênida pelos partos, como parte de sua estratégia de legitimação política, e de que Arriano se tornou o principal herdeiro da historiografia greco-parta (representada por Apolodoro) na tradição literária romana.


Palavras-chave


Fonte histórica; Grécia Antiga; Historiografia antiga

Texto completo:

262-273


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i17.750

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia