Pintura de uma paisagem

Indagações sobre um método acima de qualquer suspeita

Francisco Murari Pires

Resumo


Este ensaio coloca algumas indagações questionando a inconsistência da trama argumentativa porque Carlo Ginzburg concebeu os fundamentos de sua proposição do paradigma indiciário. Um primeiro movimento reflexivo dessa interpelação questionadora intriga a exploração de algumas considerações porque o espectro da bibliografia crítica avaliou a tese de Ginzburg. Consequente a ele, desdobra-se o segundo movimento porque a reflexão crítica toma por foco o eventual diálogo da proposição epistemológica de Ginzburg com o congênere conceito, originalmente tucidideano, de indiciamento (tekmérion) como procedimento metodológico de veracidade factual, diálogo este, senão totalmente silenciado, efetivamente elidido pela (des)consideração com que Ginzburg o irreleva.


Palavras-chave


Carlo Ginzburg; Tucídides; Metodologia da história

Texto completo:

24-44


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i13.710

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia