A lição da pedra: usos do passado e cultura material

Autores

  • Francisco Régis Lopes Ramos Universidade Federal do Ceará
  • Aline Montenegro Magalhães Museu Histórico Nacional

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i13.679

Palavras-chave:

Escrita da História, Narrativas, Cultura material

Resumo

Ao propor certas divisões entre o passado e o presente, a escrita da história na modernidade também articula várias maneiras de fazer conexões entre o real e o que não é real. Uma possível abordagem historiográfica é exatamente o estudo sobre a forma como essas conexões são constituídas e legitimadas. Portanto, este artigo é uma abordagem historiográfica sobre os usos do passado na cultura histórica vivida por Gustavo Barroso, a partir das proposições teóricas e metodológicas de Manoel Luiz Salgado Guimarães. Relacionando a escrita de Barroso com a produção de outros intelectuais, percebe-se o importante papel da cultura material para a construção de certas formas de dar sentido ao passado, através das transformações de marcas e traços em vestígios da passagem do tempo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francisco Régis Lopes Ramos, Universidade Federal do Ceará

Doutor em História. Professor Adjunto da UFC

Aline Montenegro Magalhães, Museu Histórico Nacional

Doutora em História. Pesquisadora no Museu Histórico Nacional

Downloads

Publicado

2013-09-16

Como Citar

RAMOS, F. R. L.; MAGALHÃES, A. M. A lição da pedra: usos do passado e cultura material. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 6, n. 13, p. 96–113, 2013. DOI: 10.15848/hh.v0i13.679. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/679. Acesso em: 20 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "A história em questão: diálogos com a obra de Manoel Luiz Salgado Guimarães"