Usos da ecfrase no gênero histórico seiscentista

Autores

  • Eduardo Sinkevisque

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i12.607

Palavras-chave:

Escrita da História, Retórica, Estilo

Resumo

O artigo discute alguns usos da ecfrase na composição de narrativas históricas do século XVII. Demonstra como letrados seiscentistas atualizam o gênero poético descritivo, entendendo-o como procedimento elocutivo geral. Ao entenderem a ecfrase como descriptio, utilizam-na na descrição/evidenciação de tópicas como as de lugar, pessoa, físico, ações, caráter etc., prescritas por Quintiliano, por exemplo. A técnica amplifica o discurso, fazendo-se, no uso, ornato instrutivo. Particulariza-se a discussão lendo-se um recorte de histórias, de anais, de vidas e de diários das guerras holandesas no Estado do Brasil (1624-1654), cuja visada é retórica. O pressuposto mimético das práticas historiográficas estudadas descarta a leitura realista/naturalista, entendendo-se que a imitação/emulação, no recorte, dá-se, não por meio de realidades empíricas, mas de modelos discursivos/pictóricos. Estudam-se, portanto, gêneros históricos e seus estilos e não os projetos singulares de supostos autores de história.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eduardo Sinkevisque

Eduardo Sinkevisque é licenciado (1996) e bacharel (1991) em Letras - Língua e Literatura Portuguesas pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Fez Iniciação Científica em Linguística (LAEL/PUC-SP) em 1991, orientado pela Professora Sumiko Nishitani Ikeda. Concluiu o Mestrado (2000) e o Doutorado (2005) em Letras: Literatura Brasileira pelo Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas FFLCH/USP, com orientação de João Adolfo Hansen. É Pós-Doutor em Teoria Literária pelo Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), cujo supervisor foi Alcir Pécora. É Pós-doutor em História pela UFRGS (IFCH), cujo supervisor foi Temístocles Cezar. É especialista em Literatura Brasileira Colonial, Letras Portuguesas dos séculos XVI, XVII e XVIII, em retórica, em poética e em arte histórica.

Downloads

Publicado

2013-09-03

Como Citar

SINKEVISQUE, E. Usos da ecfrase no gênero histórico seiscentista. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 6, n. 12, p. 45–62, 2013. DOI: 10.15848/hh.v0i12.607. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/607. Acesso em: 20 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê "Teoria da história da historiografia"