Pintura de uma paisagem

O retorno do indivíduo como objeto da história: reflexões à luz da teoria semiótica

Eliane Misiak

Resumo


A partir do final dos anos 1970 e início dos anos 1980, o método biográfico, nunca esquecido, retomou um lugar de prestígio na produção historiográfica francesa. Vários são os estudos realizados a fim de explicar as condições desse retorno. O presente artigo pretende, à luz da teoria semiótica, contribuir para tal compreensão a partir da análise da construção e investimento de valores nesse objeto histórico, o indivíduo, que retorna à cena historiográfica. Inicialmente, em oposição ao ponto de vista adotado pelo modelo historiográfico quantitativo e, em um segundo momento, como o resultado de uma mudança paradigmática no seio do próprio método biográfico.

Palavras-chave


Historiografia; Biografia; Semiótica

Texto completo:

57-71


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i9.403

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia