Reta razão aplicada ao agir: apropriações da virtude ético-política da prudência

Autores

  • Cleber Vinicius do Amaral Felipe

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i9.389

Palavras-chave:

História dos conceitos, Genealogia, Prudência

Resumo

Este artigo pretende esboçar uma breve trajetória do conceito de prudência, sem a pretensão de localizar sua suposta origem. Busca-se, ao contrário, questionar esta terminologia a partir de várias de suas apropriações, o que implica dizer que o conteúdo ao qual este termo se baseia é constantemente atualizado. Este exercício ajuda-nos a perscrutar diferentes noções de tempo, uma vez que o homem prudente deve fazer bom uso de suas experiências e memórias (e, portanto, do passado), agir retamente perante o contingente (presente) e se basear em expectativas possíveis e prováveis, fazendo bom uso das estimativas e previsões que domina (futuro).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cleber Vinicius do Amaral Felipe

Graduado e mestre em História pela Universidade Federal de Uberlândia (UFU). Doutorando em História pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).   

Downloads

Publicado

2012-08-05

Como Citar

FELIPE, C. V. do A. Reta razão aplicada ao agir: apropriações da virtude ético-política da prudência. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 5, n. 9, p. 145–165, 2012. DOI: 10.15848/hh.v0i9.389. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/389. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Artigo