Lodovico Dolce e uma crítica às Vite de Giorgio Vasari

Autores

  • Rejane Maria Bernal Ventura

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i9.379

Palavras-chave:

Historiografia humanista, Renascimento, Crítica

Resumo

Este artigo contempla alguns aspectos que ligam o Dialogo della pittura intitolato l´Aretino (1557), do Homem de Letras veneziano Lodovico Dolce, à obra do historiador Florentino, Giorgio Vasari, Le vitede´più eccellenti architetti, pittori et scultori italiani, da Cimabue, insino a´tempi nostri (1550). Procura-se demonstrar ao longo do texto que Dolce apoiou-se em conceitos teóricos expostos nas Vite, revertendo-os em seus próprios argumentos com o propósito de exaltar a pintura veneziana enquanto patrimônio cultural do Cinquecento, equiparando-a à arte da Tosco-romana, bem como buscou salientar a relevância da pintura de Ticiano, ausente da primeira edição da obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Maria Bernal Ventura

Rejane Bernal Ventura é graduada em Educação Artística pela ECA-USP e possui Mestrado e Doutorado em Filosofia, ambos pela FFLCH-USP. Suas áreas de pesquisa são a Estética e a História da Arte, com ênfase para a Literatura Artística dos Séculos XV e XVI. Tem realizado traduções para o português de autores italianos do período. É autora de “Diálogo sobre a Pintura”, de Paolo Pino (Cadernos de Tradução n. 8. São Paulo: Humanitas/FFLCH, 2002) e de “Da Vinci – Sátiras, fábulas, aforismos e profecias” (São Paulo: Hedra, 2008).

 

Downloads

Publicado

2012-06-23

Como Citar

VENTURA, R. M. B. Lodovico Dolce e uma crítica às Vite de Giorgio Vasari. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 5, n. 9, p. 72–87, 2012. DOI: 10.15848/hh.v0i9.379. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/379. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê “História e biografia: aproximações, desafios e implicações teóricas no campo historiográfico”