Pintura de uma paisagem

Lodovico Dolce e uma crítica às Vite de Giorgio Vasari

Rejane Maria Bernal Ventura

Resumo


Este artigo contempla alguns aspectos que ligam o Dialogo della pittura intitolato l´Aretino (1557), do Homem de Letras veneziano Lodovico Dolce, à obra do historiador Florentino, Giorgio Vasari, Le vitede´più eccellenti architetti, pittori et scultori italiani, da Cimabue, insino a´tempi nostri (1550). Procura-se demonstrar ao longo do texto que Dolce apoiou-se em conceitos teóricos expostos nas Vite, revertendo-os em seus próprios argumentos com o propósito de exaltar a pintura veneziana enquanto patrimônio cultural do Cinquecento, equiparando-a à arte da Tosco-romana, bem como buscou salientar a relevância da pintura de Ticiano, ausente da primeira edição da obra.

Palavras-chave


Historiografia humanista; Renascimento; Crítica

Texto completo:

72-87


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i9.379

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia