A narrativa heroico-nacionalista de Arthur Reis na representação da defesa da Amazônia pelos portugueses e luso-brasileiros em A Amazônia e a cobiça internacional - anos de 1960

Autores

  • Alexandre Pacheco Universidade Federal de Rondônia

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i10.354

Palavras-chave:

Narrativa historiográfica, América portuguesa, Nacionalismo

Resumo

Neste texto analisaremos como a narrativa heroico-nacionalista de Arthur Reis em A Amazônia e a cobiça internacional se transformou em denúncia e ao mesmo tempo julgamento sobre o passado de cobiça dos povos estrangeiros em relação à Amazônia. Arthur Reis sistematicamente se posicionou a favor dos portugueses e dos luso-brasileiros em suas lutas para defesa da região, considerando-os como verdadeiros heróis. Neste sentido, os fatos relacionados a essas ações seriam apreendidos a partir da observação deles como dados para uma investigação histórica objetiva, que verificados e comprovados revelariam ensinamentos patrióticos para a Nação brasileira, sobretudo em relação à manutenção de nossa soberania sobre a Amazônia em meio aos anos de 1960.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alexandre Pacheco, Universidade Federal de Rondônia

Professor do Departamento de História da Universidade Federal de Rondônia. Graduado em História. Mestre em História Social. Doutor em Sociologia.

Downloads

Publicado

2012-11-16

Como Citar

PACHECO, A. A narrativa heroico-nacionalista de Arthur Reis na representação da defesa da Amazônia pelos portugueses e luso-brasileiros em A Amazônia e a cobiça internacional - anos de 1960. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 5, n. 10, p. 94–110, 2012. DOI: 10.15848/hh.v0i10.354. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/354. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê “Diálogos historiográficos: Brasil e Portugal”