Pintura de uma paisagem

A narrativa heroico-nacionalista de Arthur Reis na representação da defesa da Amazônia pelos portugueses e luso-brasileiros em A Amazônia e a cobiça internacional - anos de 1960

Alexandre Pacheco

Resumo


Neste texto analisaremos como a narrativa heroico-nacionalista de Arthur Reis em A Amazônia e a cobiça internacional se transformou em denúncia e ao mesmo tempo julgamento sobre o passado de cobiça dos povos estrangeiros em relação à Amazônia. Arthur Reis sistematicamente se posicionou a favor dos portugueses e dos luso-brasileiros em suas lutas para defesa da região, considerando-os como verdadeiros heróis. Neste sentido, os fatos relacionados a essas ações seriam apreendidos a partir da observação deles como dados para uma investigação histórica objetiva, que verificados e comprovados revelariam ensinamentos patrióticos para a Nação brasileira, sobretudo em relação à manutenção de nossa soberania sobre a Amazônia em meio aos anos de 1960.


Palavras-chave


Narrativa historiográfica; América portuguesa; Nacionalismo

Texto completo:

94-110


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i10.354

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia