Pintura de uma paisagem

Presentificando a natureza: os enunciados descritivos da paisagem nacional como efeitos de presença na escrita da história oitocentista

Eduardo Wright Cardoso

Resumo


Este artigo investiga a dimensão escriturária da historiografia nacional oitocentista. Com esse fim, selecionei como objeto de pesquisa os procedimentos descritivos inseridos nas obras historiográficas. Essas descrições, acredito, podem ser exploradas como tentativas de presentificação, posto que revelam o anseio de colocar o objeto descrito sob os olhos do leitor. Trata-se de uma estratégia que participa da própria construção do argumento historiográfico. Assim, creio ser válido interpretar esse anseio a partir da epistemologia da produção de presença, tal como a estipulou Hans Ulrich Gumbrecht. Para ilustrar o argumento, valho-me da descrição do Rio de Janeiro elaborada por Francisco Adolfo de Varnhagen e inserida na História geral do Brasil (1854-1857).


Palavras-chave


Historiografia brasileira; Escrita da História; Francisco Adolfo de Varnhagen

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i8.340

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia