Lionel Lincoln de James Fenimore Cooper: apropriações literárias na prosa romanesca norte-americana da primeira metade do século XIX

Autores

  • Renata Dal Sasso Freitas Universidade Federal do Rio de Janeiro

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i9.335

Palavras-chave:

Romance histórico, Literatura, James Fenimore Cooper

Resumo

Em 1824, o romancista nova-iorquino James Fenimore Cooper empreendeu uma viagem de pesquisa até a cidade de Boston, Massachusetts, para escrever o romance histórico Lionel Lincoln. A intensão inicial do autor era publicar uma série de treze romances, cada um ambientado nas treze colônias que deram origem aos Estados Unidos da América durante os eventos da Guerra de Independência (1775-1783) intitulada Legends of the thirteen republics. No entanto, o fracasso desta obra sepultou a ideia e Lionel Lincoln ficou sendo o único de seus trabalhos que Cooper considera uma “obra histórica”. Apesar de não ter feito sucesso de crítica ou público, Lionel Lincoln não deixa de ser um exercício em gênero que ainda não tinha muitos adeptos no continente americano e que mostra a apropriação de diversos tipos de narrativa por parte de seu autor, sobretudo o romance gótico e relatos de campanhas militares. O objetivo deste trabalho é analisar essas apropriações tendo em vista o estabelecimento de uma forma de prosa romanesca que ainda estava em desenvolvimento no início do século XIX.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Dal Sasso Freitas, Universidade Federal do Rio de Janeiro

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFRJ. Mestre em História pela UFRGS. 

Downloads

Publicado

2012-06-23

Como Citar

FREITAS, R. D. S. Lionel Lincoln de James Fenimore Cooper: apropriações literárias na prosa romanesca norte-americana da primeira metade do século XIX. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 5, n. 9, p. 184–200, 2012. DOI: 10.15848/hh.v0i9.335. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/335. Acesso em: 27 set. 2021.

Edição

Seção

Artigo