O ofício de historiador: entre a ‘ciência histórica’ e a ‘arte narrativa’

  • Diogo da Silva Roiz UEMS/Amambai
Palavras-chave: história narrativa, história problema, história científica

Resumo

O que muitos historiadores franceses e ingleses definiram como a passagem da história-narrativa para a história-problema, nas primeiras décadas do século XX, e da história-problema para uma volta à (uma ‘nova’) história-narrativa, entre as décadas de 1960 e 1970, constituiria uma mudança profunda no conhecimento histórico, e que se desdobraria também pelas Ciências Humanas e Sociais, configurando novas investigações, problemas e interpretações, mesmo que de forma peculiar. Nesse sentido, o principal objetivo deste texto será inquirir parte desses debates, e os contornos que tiveram entre a História e a Teoria Literária, ao procurar demonstrar como esses questionamentos, de os estudos históricos estarem entre a ‘ciência’ e a ‘arte’, contribuíram diretamente para que fossem repensadas as ‘teorias’ na pesquisa histórica, a partir da década de 1970.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diogo da Silva Roiz, UEMS/Amambai
Doutorando em História pela UFPR, bolsista do CNPq. Mestre em História pela Unesp, Campus de Franca. Professor da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul, em afastamento integral para estudos
Publicado
2010-06-25
Como Citar
ROIZ, D. DA S. O ofício de historiador: entre a ‘ciência histórica’ e a ‘arte narrativa’. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 3, n. 4, p. 255-278, 25 jun. 2010.
Seção
Artigo