História, biografia e nação na Argentina no início do século XX: Sarmiento lido por Ricardo Rojas

Autores

  • Fabio Muruci dos Santos UFES

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i7.290

Palavras-chave:

Historiografia, Historiografia hispano-americana, Biografia

Resumo

A escrita de biografias e autobiografias é uma parte importante da historiografia argentina. No século XIX, elas procuravam apresentar a vida e as virtudes de potenciais candidatos à liderança nacional, conectando-os a uma experiência histórica diferente daquela dos caudillos e montoneras. Porém, é notável nessas narrativas as sérias dificuldades enfrentadas pelos intelectuais argentinos em formular uma narrativa histórica que pudesse conciliar os universos da cidade e do pampa. Historiadores nacionalistas do século XX, como Ricardo Rojas, assumiram esse projeto, produzindo biografias de “grandes homens” da história argentina que tivessem sintetizado e harmonizado em si mesmos os elementos em conflito da história nacional. Este artigo procura discutir a biografia de Domingo Sarmiento, El profeta de la pampa, examinando as estratégias usadas por Rojas para mostrar Sarmiento como um homem representativo, que traz em si elementos indígenas, gaúchos e criollos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabio Muruci dos Santos, UFES

Áreas de Interesse: Historiografia hispano-americana, Historiografia brasileira, História e narrativa

Downloads

Publicado

2011-10-01

Como Citar

DOS SANTOS, F. M. História, biografia e nação na Argentina no início do século XX: Sarmiento lido por Ricardo Rojas. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 4, n. 7, p. 116–133, 2011. DOI: 10.15848/hh.v0i7.290. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/290. Acesso em: 28 set. 2021.

Edição

Seção

Dossiê “Historiografia na América Espanhola”