Detratores do homoerotismo grego: uma historiografia essencialista

Autores

  • Daniel Barbo

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i6.211

Palavras-chave:

Historiografia, Homoerotismo, Helenismo

Resumo

O objetivo deste artigo é analisar o cunho essencialista da abordagem de algumas obras historiográficas anteriores ao evento de Stonewall (1969) que, ao se debruçarem sobre o estudodo amor, da educação e da mitologia gregas, necessitaram colocar em pauta a questão, então constrangedora, do homoerotismo grego. Essa historiografia, tentando delinear a face pedagógica desse homoerotismo, devido à sua importância crucial para a cultura grega, escamoteiou ou interpretou mal sua face erótica, resvalando para a incompreensão das fontes gregas que evidenciam a relação, propriamente, erótica do fenômeno da sociedade. O momento da escrita dessas obras historiográficas foi de um extraordinário autoritarismo e de um extremado conservadorismo, época em que fortes interdições pesavam sobre a homossexualidade no mundo ocidental, o que justifica, em parte, a superficialidade daquelas análises.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2011-03-01

Como Citar

BARBO, D. Detratores do homoerotismo grego: uma historiografia essencialista. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 4, n. 6, p. 171–189, 2011. DOI: 10.15848/hh.v0i6.211. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/211. Acesso em: 10 ago. 2022.

Edição

Seção

Artigo