Um retrato político do padre Antônio Vieira

antijesuitismo em João Francisco Lisboa

Autores

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v14i37.1771

Palavras-chave:

Biografia, Historiografia do século XIX, Nação

Resumo

O historiador e jornalista João Francisco Lisboa escreveu, entre 1858 e 1663, a biografia Vida do Padre Antônio Vieira. A escrita sobre o padre esteve imersa em uma série de aproximações com as teorias do complô jesuítico, uma narrativa enredada em uma clara proposta de denúncia histórica. Como resultado de nossa pesquisa, entendemos que Lisboa criou a imagem de Vieira enquanto um personagem político, abordagem que pretendia questionar a legitimidade histórica do padre e de sua ordem. Para tratar de tal questão, procuramos: refletir sobre o modelo de escrita biográfica; investigar as conexões com a historiografia do século XIX; e analisar conceitualmente o antijesuitismo e seus desdobramentos no discurso de Lisboa. São esses os procedimentos da abordagem historiográfica de nosso estudo, com a qual colocamos em perspectiva uma escrita sobre Vieira na cultura histórica oitocentista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Gil Eduardo de Albuquerque Macedo, Universidade Federal do Ceará

Gil Eduardo de Albuquerque Macedo é doutor em História pela Universidade Federal do Ceará (UFC), mestre em História pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e graduado em História pela mesma instituição, onde exerce no momento a função de Técnico Administrativo em Educação. Atualmente tem se dedicado à abordagem historiográfica sobre o padre Antônio Vieira na cultura histórica oitocentista. Possui experiência com pesquisa em: história da Companhia de Jesus e historiografia brasileira e portuguesa nos séculos XVIII e XIX, além de nutrir interesses nas áreas de teoria da história e de história da historiografia.

Referências

ARARIPE, Tristão de Alencar. Indicações sobre a história nacional. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 57, pt. 2, p. 259-290, 1894.

ALTOÉ, Valeriano. O Altar e o Trono: um mapeamento das idéias políticas e dos conflitos no Brasil (1840-1889). 1993. Tese (Doutorado em História) – Programa de pós-graduação em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 1993.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Sobre a permanência da expressão historia magistra vitae no século XIX brasileiro. In: NICOLAZZI, Fernando; MOLLO, Helena Miranda; ARAUJO, Valdei Lopes de (org.). Aprender com a história? o passado e o futuro de uma questão. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2011. p.138-139.

ARAUJO, Valdei Lopes de. Historiografia, nação e os regimes de autonomia na vida letrada no Império do Brasil. Varia historia, Belo Horizonte, v. 31, n. 56, p. 365-400, ago. 2015.

AVELAR, Alexandre de Sá. Figurações da escrita biográfica. ArtCultura, Uberlândia, v. 13, n. 22, p. 137-155, 2011.

BAENA, Antonio Ladislau Monteiro. Ensaio corográfico sobre a província do Pará. 2. ed. Brasília: Senado Federal, Conselho Editorial, 2004.

BARBOSA, Januário da Cunha. Discurso do Primeiro Secretário Perpétuo do Instituto. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 1, p. 9-17, 1839.

BARROS. André de. Vida do apostólico padre António Vieira da Companhia de Jesus. Lisboa: Na Nova Officina Sylviana, 1746.

BASSELAAR, José van den. O Sebastianismo: história sumária. Lisboa: ICLP, 1987.

BORRALHO, José Henrique de Paula. A Athenas Equinocial: a literatura e a fundação de um Maranhão no Império brasileiro. São Luís: Edfunc, 2010.

BORBOLLA, Ángeles García de la. La leyenda hagiográfica medieval: una especial biografía? Memoria y civilización, Navarra, n. 5, p. 77-99, 2002.

BOSI, Alfredo. O ser e o tempo da poesia. São Paulo: Cultrix, 1977.

BOURDIEU, Pierre. A Distinção. São Paulo: EDUSP, 2007.

BOURDIEU, Pierre. A ilusão biográfica. In: BOURDIEU, Pierre. Razões Práticas: sobre a teoria da razão. Campinas: Papirus, 2007. p. 74-82.

BREVE memória acerca da naturalidade do Padre Antônio Vieira da Companhia de Jesus, de que foi encarregado pelo IHGB o Arcebispo da Bahia, D. Romualdo Antônio de Seixas, membro honorário do mesmo instituto e de algumas sociedades nacionais e estrangeiras. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 19, p. 5-32, 1856.

CIDADE, Hernâni. Padre Antônio Vieira. São Paulo: Editora Arcádia, s/d.

CEZAR, Temístocles. Lição sobre a escrita da História: Historiografia e Nação no Brasil do século XIX. Diálogos, DHI/UEM, Maringá, v. 8, n. 1, p. 11-29, 2004.

CEZAR, Temístocles. Livros de Plutarco: biografia e escrita da história no Brasil do século XIX. Métis: história & cultura, Caxias do Sul, v. 2, n. 3, p. 73-94, 2003.

DOMINGOS, Simone Tiago. O retorno da Companhia de Jesus no Segundo Reinado: representações dos jesuítas nas páginas da Revista do IHGB (1839-1886). Revista História e Cultura, Franca, v. 3, n. 2, p. 338-355, 2014.

DOMINGOS, Simone Tiago. Política e Memória: a polêmica sobre os jesuítas na Revista do IHGB e a política imperial (1839-1886). 2009. Dissertação (Mestrado em História) - Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, UNICAMP, Campinas, 2009.

FRAGOSO, Hugo. Quinto período: A Igreja na formação do Estado Liberal (1840-1875). In: HAUCK, João Fagundes; FRAGOSO, Hugo; BEOZZO, Oscar; GRIJP, Klaus Van Der; BROD, Benno (org.). História da Igreja no Brasil: Ensaio de interpretação a partir do povo. Petrópolis: Vozes, 1985. p. 141-253.

FRANCO, José Eduardo; REIS, Bruno Cardoso. Vieira na literatura anti-jesuítica. Lisboa: Roma Editora, 1997.

FIGUEIREDO, Aldrin. Teias da memória, a Companhia de Jesus e a historiografia da Amazônia no século XIX. Varia Historia, Belo Horizonte, n. 23, p. 77-96, 2000.

GUIMARÃES, Manoel Luiz Salgado. Nação e civilização nos trópicos: o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e o projeto de uma História Nacional. Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 6-27, 1988.

HALL, Stuart. A identidade Cultural na pós-modernidade. Rio de Janeiro: Dp&a Editora, 2005.

HANSEN, João Adolfo. Barroco, Neobarroco e outras ruínas. Estudos Portugueses, Salamanca, n. 3, p. 171-217, 2003.

HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiências do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

HERCULANO, Alexandre. A supressão das conferências no Casino. In: HERCULANO, Alexandre. Opúsculos. Lisboa: Presença, 1983. v. 1, p. 253-297.

JANOTTI, Maria de Lourdes. João Francisco Lisboa: jornalista e historiador. São Paulo: Ática, 1977.

KHALED JR., Salah. Horizontes identitários: a construção da narrativa nacional brasileira pela historiografia do século XIX. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2010.

KOSELLECK, Reinhart. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto-Ed.: PUC-Rio, 2006.

LEAL, Antonio Henriques. Apontamentos para a história dos jesuítas, extrahidos dos chronistas da Companhia de Jesus. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 34, p. 47-53, 1871.

LEROY, Michel. Le Mythe Jésuite: de Béranger à Michelet. Paris: PUF, 1992.

LISBOA, João Francisco. Vida do Padre Antônio Vieira. Clássicos Jackson. v. XIX. Rio de Janeiro: W. M. Jackson Inc., 1964.

LISBOA, João Francisco. Obras de João Francisco Lisboa. São Luís: Typographia de Belarmino Matos, 1865a. v. 2.

LISBOA, João Francisco. Obras de João Francisco Lisboa. São Luís: Typographia de Belarmino Matos, 1865b. v. 3.

MAQUINAÇÕES de António Vieira Jesuíta. Códices ms. n. 2673-2679. (Biblioteca Nacional de Lisboa).

OLIVEIRA, Maria da Glória. Biografia e historia magistra vitae: sobre a exemplaridade das vidas ilustres no Brasil oitocentista. Anos 90, Porto Alegre, v. 22, n. 42, p. 273-294, 2015.

OLIVEIRA, Maria da Glória. Traçando vidas de brasileiros distintos com escrupulosa exatidão: biografia, erudição e escrita da história na Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (1839-1850). História, São Paulo, v. 26, n. 1, p. 154-178, 2007.

OLIVEIRA, Paulo Fernando da Motta. Aspectos da recepção de Vieira por escritores portugueses oitocentistas. In: CONGRESSO INTERNACIONAL TERCEIRO CENTENÁRIO DA MORTE DO PADRE ANTÓNIO VIEIRA, Lisboa. Actas […]. Braga: U.C.P.; P.P.C.J, 1999. v. 3, p. 1973-1988.

PÉCORA, Alcir. Teatro do Sacramento: a unidade teológico-retórico-política dos sermões de Antônio Vieira. Campinas: Editora da Unicamp; São Paulo: Edusp, 2008.

PEREGRINO JÚNIOR. Prefácio: significação e importância da obra de João Francisco Lisboa. In: LISBOA, João Francisco. Vida do padre António Vieira. São Paulo: Gráfica Editora Brasileira ltda, Clássicos Jackson, 1948. p. 5-23.

PINHEIRO, Joaquim Caetano Fernandes. Ensaio sobre os jezuitas. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 18, p. 71- 164, 1855.

PINHEIRO, Joaquim Caetano Fernandes. Breves reflexões sobre o systema de catechese seguido pelos jesuitas no Brazil. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 19, p. 379-397, 1856.

RICOEUR, Paul. A metáfora viva. São Paulo: Edições Loyola, 2000.

ROMANO, Roberto. Brasil: Igreja contra Estado. São Paulo: Kairós Livraria e Editora Ltda, 1979.

SÃO LEOPOLDO, Visconde de. O Instituto Histórico Brasileiro é o representante das ideias de Ilustração, que em diferentes épocas se manifestaram neste continente. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, t. 1, p. 61-76, 1839.

SANTOS, Evandro. Ensaio sobre a constituição de uma ética historiográfica no Brasil oitocentista: Francisco Adolfo de Varnhagen, o historiador no tempo. 2014. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.

SOARES, Flávio José Silva. No avesso da forma: apontamentos para uma genealogia da Provincia do Maranhão. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2008.

SILVA, Jussara Rodrigues da. Reformar os costumes pela história: a historiografia de Francisco Lisboa no Jornal de Timon. 2017. Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal de Ouro Preto, Mariana, 2017.

SKINNER, Quentin. As fundações do pensamento político moderno. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

TURIN, Rodrigo. João Francisco Lisboa. In: RODRIGUES, Henrique Estrada; PARADA, Maurício (org.). Os Historiadores. Clássicos da História do Brasil. Dos Primeiros Relatos a José Honório Rodrigues. Rio de Janeiro: Puc-Rio, 2018. v. 4, p. 66-82.

TURIN, Rodrigo. Uma nobre, difícil e útil empresa: o ethos do historiador oitocentista. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 2, n. 2, p. 12-28, mar. 2009. Disponível em: https://www.historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/4. Acesso em: 1 nov. 2021.

VARELLA, Flávia Florentina. Reunindo o passado: contextos discursivos e linguagens historiográficas na History of Brazil de Robert Southey. 2015. Tese (Doutorado em História) – Programa de pós-graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2015.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História geral do Brasil. Madrid: Imprensa de J. Del Rio, 1854. t. 1.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História geral do Brasil. Madrid: Imprensa de J. Del Rio, 1857. t. 2.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. História geral do Brazil antes da sua separação e independência de Portugal. 2. ed. aum. e melh. Rio de Janeiro: E. & H. Laemmert, 1877. t. 1.

VARNHAGEN, Francisco Adolfo de. Correspondência Ativa. Coligida e anotada por Clado Lessa. Rio de Janeiro: INL/NEC, 1961.

WHITE, Hayden. Meta-História. A imaginação histórica do século XIX. São Paulo: Edusp, 1995.

Downloads

Publicado

2022-01-13

Como Citar

MACEDO, G. E. de A. Um retrato político do padre Antônio Vieira: antijesuitismo em João Francisco Lisboa. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 14, n. 37, p. 105–134, 2022. DOI: 10.15848/hh.v14i37.1771. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1771. Acesso em: 19 jan. 2022.

Edição

Seção

Artigo original