Pintura de uma paisagem

Sobre a inconstância da alma cordial: presença e ausência ameríndia em Raízes do Brasil

André Jobim Martins

Resumo


Em Raízes do Brasil (1936), Sérgio Buarque de Holanda atribui à cultura ibérica o protagonismo exclusivo na gênese do estilo de vida e pensamento predominante no Brasil, sintetizado na imagem do “homem cordial”. Este ensaio argumenta que a cultura ibérica, tal como descrita no livro, não se conforma perfeitamente à dimensão intelectual da cordialidade. O “homem cordial” é reexaminado à luz das reflexões de Eduardo Viveiros de Castro sobre a “inconstância” tupinambá, no sentido de propor que certos traços dessa cultura tornam mais compreensível a análise que Sérgio Buarque faz da mentalidade brasileira. A pertinência da hipótese é demonstrada a partir do realce de mudanças ocorridas no texto entre suas duas primeiras edições (1936 e 1948), relacionadas à caracterização da cultura portuguesa e da sua interação com as culturas ameríndias, e de um exame daquilo que se poderia considerar uma inconstância do intelecto no capítulo “O homem cordial”, em cotejo com as leitura que Oswald de Andrade faz de Raízes num ensaio de 1950.


Referência bibliográfica


ANDRADE, Oswald de. A crise da filosofia messiânica. In: A utopia antropofágica. São Paulo: Globo; Secretaria de Estado de Cultura, 1990a [1950], p. 101-155.
ANDRADE, Oswald de. Um aspecto antropofágico da cultura brasileira: o homem cordial. In: A utopia antropofágica. São Paulo: Globo; Secretaria de Estado de Cultura, 1990b [1950], p. 157-159.
ARAÚJO, Ricardo Augusto Benzaquen de. Sobrados e Mucambos e Raízes do Brasil. In: MIRANDA, Maria do Carmo Tavares de (org.). Quem somos nós? 60 anos sobrados e mucambos. Recife: Massangana, 2000. p. 35-46.
BASTOS, Elide Rugai. Raízes do Brasil – Sobrados e mucambos: um diálogo. Perspectivas (UNESP), v. 28, p. 19-36, 2005. Disponível em: https://periodicos.fclar.unesp.br/perspectivas/article/view/13/6. Acesso em: 19 fev 2019.
BASTOS, Elide Rugai. Um livro entre duas constituintes. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016, p. 405-410.
BLAJ, Ilana. Sérgio Buarque de Holanda: historiador da cultura material. In: MELO SOUZA, Antonio Candido de (org.). Sérgio Buarque de Holanda e o Brasil. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 1998. p. 29-48.
BOTELHO, André; BRASIL Jr., Antonio. Primos entre si? Rural e urbano em Raízes do Brasil e Populações meridionais do Brasil. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. p. 411-417.
CASTRO, Conrado Pires de. A “eterna juventude” de um clássico. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. p. 419-429.
COHN, Gabriel. Crítica e resignação. Fundamentos da sociologia de Max Weber. São Paulo: T. A. Queiroz, 1979.
COHN, Gabriel. O pensador do desterro. Folha de São Paulo, 23 jun 2002, s. p. Disponível em: https://www1.folha.uol.com.br/fsp/mais/fs2306200207.htm. Acesso em: 06 mai. 2019.
DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Negação das negações. In: MONTEIRO, Pedro Meira; EUGÊNIO, João Kennedy. (Orgs.). Sérgio Buarque de Holanda. Perspectivas. Campinas: Unicamp; Rio de Janeiro: UERJ, 2008. p. 317-347.
DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Sérgio Buarque de Holanda, historiador. In: DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Sérgio Buarque de Holanda. História. São Paulo: Ática, 1985, p. 7-64.
EUGÊNIO, João Kennedy. Ritmo espontâneo: Organicismo em Raízes do Brasil de Sérgio Buarque de Holanda. Teresina: UFPI, 2010.
FELDMAN, Luiz. Clássico por amadurecimento. Estudos sobre Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: Topbooks, 2015.
FRANÇOZO, Mariana. Os outros alemães de Sérgio: etnografia e povos indígenas em Caminhos e fronteiras. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 22, n. 63, fev. p. 137-152, 2007. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v22n63/a11v2263.pdf. Acesso em: 9 mai 2019.
FREYRE, Gilberto. Casa-grande & senzala. Formação da família brasileira sob o regime patriarcal. São Paulo: Global, 2006 [1933].
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Caminhos e fronteiras. São Paulo: Companhia das Letras, 2017 [1957].
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Monções e capítulos de expansão paulista. São Paulo: Companhia das Letras, 2014 [1945].
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. Rio de Janeiro: José Olympio, 1936.
HOLANDA, Sérgio Buarque de. Tentativas de mitologia. São Paulo: Perspectiva, 1979.
LÉVI-STRAUSS, Claude. O pensamento selvagem. Campinas: Papirus, 1989 [1962].
MATA, Sérgio da. Tentativas de desmitologia: a revolução conservadora em Raízes do Brasil. Revista Brasileira de História, v. 36, n. 73, p. 63-87, 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbh/2016nahead/1806-9347-rbh-2016v36n73-005.pdf. Acesso em: 1º dez 2018.
MELO, Alfredo Cesar. Mudanças em ritmo próprio. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. p. 449-455.
MONTEIRO, Pedro Meira; SCHWARCZ, Lilia Moritz. Introdução – Uma edição crítica de Raízes do Brasil: o historiador lê a si mesmo. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016. p. 11-26.
MONTEIRO, Pedro Meira. Raízes rurais da família brasileira: Sérgio Buarque de Holanda e Gilberto Freyre. In: MONTEIRO, Pedro Meira. Signo e desterro. Sérgio Buarque de Holanda e a imaginação do Brasil. São Paulo: Hucitec, 2015. p. 55-77.
NIETZSCHE, Friedrich. Assim falou Zaratustra. São Paulo: Companhia das Letras, 2011 [1885].
NIETZSCHE, Friedrich. Segunda consideração intempestiva. Da utilidade e desvantagem da história para a vida. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2003 [1874].
RODRIGUES, Henrique Estrada. Os sertões incultos e o ouro do passado. In: EUGÊNIO, João Kennedy; MONTEIRO, Pedro Meira (Orgs.). Sérgio Buarque de Holanda: Perspectivas. Campinas: Unicamp; Rio de Janeiro: UERJ, 2008, p. 63-82.
RODRIGUES, Henrique Estrada. Uma história cordial. In: SILVA, Ana Rosa Cloclet da; NICOLAZZI, Fernando; PEREIRA, Mateus. Contribuições à história da historiografia luso-brasileira. São Paulo: Hucitec, 2013. p. 309-321.
SIMMEL, Georg. The Conflict in Modern Culture. In: SIMMEL, Georg (org.). On individuality and social forms. Chicago: Chicago University Press, 1971 [1918]. p. 274-293.
SOUZA, Jessé. A ética protestante e a ideologia do atraso brasileiro. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 13, n. 38, p. 97-116, out. 1998. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v13n38/38jesst.pdf. Acesso em: 1º dez 2018.
VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. O mármore e a murta: sobre a inconstância da alma selvagem. In: VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. A inconstância da alma selvagem. São Paulo: Cosac Naify, 2003. p. 183-264.
WAIZBORT, Leopoldo; GOLDFEDER, André. Sobre os “tipos” em Raízes do Brasil. Revista ieb, n. 47, p. 13-35, mar. 2009. Disponível em: http://www.revistas.usp.br/rieb/article/view/34638/37376. Acesso em 9 mai 2019.
WAIZBORT, Leopoldo. O mal-entendido da democracia. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 26, n. 76, p. 39-63, 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbcsoc/v26n76/03.pdf. Acesso em 1 dez 2018.
WEBER, Max. A ética protestante e o “espírito” do capitalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
WEGNER, Robert. A montanha e os caminhos: Sérgio Buarque de Holanda entre o Rio de Janeiro e São Paulo. Revista Brasileira de História, v. 36, n. 73, p. 111-133, 2016a.
WEGNER, Robert. Dez anos que abalaram as raízes do Brasil. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de; MONTEIRO, Pedro Meira (org.); SCHWARCZ, Lilia Moritz (org.). Raízes do Brasil. Edição crítica. São Paulo: Companhia das Letras, 2016b. p. 471-477.

Palavras-chave


Sérgio Buarque de Holanda; Literatura brasileira; Historiografia brasileira

Texto completo:

104-138


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v12i30.1428

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia