Faciamus hominem ad imaginem et similitudinem nostram: gênese historiográfica do eremitismo medieval

Autores

  • Gabriel de Carvalho Godoy Castanho USP

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i2.14

Resumo

O presente texto visa apontar a construção dos contornos do eremitismo medieval pela tradição historiográfica do século XX. Para tanto, não realizaremos balanço geral, nem reflexões teóricas desvinculadas do contexto histórico que as engendrou; em seu lugar abordaremos a problemática fundamental do eremitismo medieval, ou seja o isolamento, por meio dos alicerces de sua criação historiográfica: a polêmica entre modelos eclesiásticos e laicos. Tentaremos evidenciar como certos aspectos de uma categoria sócio-cultural ganharam destaque em função dos pressupostos de seus autores. Não se trata de um estudo a cerca do temido anacronismo histórico, mas sim da inevitável parcialidade do conhecimento historiográfico. Visamos com nosso artigo: 1) alimentar a convicção de que trabalhosde teoria da história devem abordar a construção das idéias sempre em paralelo com o contexto sóciointelectual que as engendrou; 2) indicar a necessidade de uma revisão dos estudos sobre o eremitismo medieval que amplie seu conceito-objeto a partir de uma concepção construcionista e, conseqüentemente, relativista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Como Citar

CASTANHO, G. de C. G. Faciamus hominem ad imaginem et similitudinem nostram: gênese historiográfica do eremitismo medieval. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 2, n. 2, p. 220–232, 2009. DOI: 10.15848/hh.v0i2.14. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/14. Acesso em: 28 out. 2021.

Edição

Seção

Artigo