O engajamento político e historiográfico no ofício dos historiadores brasileiros: uma reflexão sobre a fundação da historiografia brasileira contemporânea (1975-1979)

  • Rodrigo Perez Oliveira Universidade Federal da Bahia.
Palavras-chave: Ditadura militar, Historiografia, Historiadores

Resumo

Tomando como recorte de análise os anos de vigência do I Plano Nacional de Pós-Graduação (1975-1979), este artigo examina a institucionalização do tipo de historiografia que até hoje é chancelada como profissional. A hipótese apresentada sugere que nesse período havia uma forte tendência de engajamento dos intelectuais nas agendas abertas pela redemocratização. Esse clima geral de engajamento levou os historiadores a tematizarem aquilo que já na época ficou conhecido como “novo sindicalismo”, o que trouxe os trabalhadores rurais e urbanos para o primeiro plano dos interesses da historiografia acadêmica. A inflexão empírica característica dos ventos teóricos neo-historicistas que sopravam à época inspirou os historiadores a produzirem, prioritariamente, estudos de caso com objetos rigidamente recortados. A institucionalização acadêmica dessa inflexão empírica interditou o estilo ensaístico, o exercício da síntese e a diacronia de média e longa duração, dificultando a afirmação no debate público da hHistória como uma ciência social aplicada, o que explica a quase total ausência dos historiadores nas instituições que estavam mediando o ativismo político direto dos intelectuais. O principal aspecto da reflexão desenvolvida neste artigo é a tensão complementar entre um intenso engajamento historiográfico e um tímido engajamento político direto no ofício dos historiadores brasileiros durante os primeiros anos da redemocratização no país.  

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rodrigo Perez Oliveira, Universidade Federal da Bahia.

Rodrigo Perez Oliveira é carioca, doutor em história social pela UFRJ e professor adjunto de teoria da história na Universidade Federal da Bahia, atuando na graduação e na pós-graduação. Rodrigo Perez é autor do livro "As armas e as letras: a Guerra do Paraguai na memória oficial do Exército Brasileiro (1881-1901)”, publicado em 2013 pela editora Multifoco, e organizador do livro "Conversas sobre o Brasil: ensaios de crítica histórica", publicado em 2017 pela editora Autografia. Os interesses de pesquisa do autor estão concentrados nas relações entre a epistemologia histórica e a história política, sendo sua especialidade a história da historiografia e do pensamento político brasileiros, assuntos que já abordou em uma dezena de artigos publicados em diversos periódicos especializados. Atualmente, Rodrigo Perez vem desenvolvendo pesquisas sobre a historiografia brasileira produzida nos anos da redemocratização (1975-1990) e sobre a experiência de crise institucional que desestabiliza a cena política brasileira desde 2013.

Publicado
2018-04-29
Como Citar
OLIVEIRA, R. P. O engajamento político e historiográfico no ofício dos historiadores brasileiros: uma reflexão sobre a fundação da historiografia brasileira contemporânea (1975-1979). História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 11, n. 26, 29 abr. 2018.
Seção
Artigo