Pintura de uma paisagem

Historiadores e memória da historiografia no Rio Grande do Sul: a edição póstuma de Terra Gaúcha (1955), de Simões Lopes Neto

Jocelito Zalla

Resumo


O objetivo deste artigo é examinar o aparato paratextual póstumo de Terra Gaúcha (1955), ensaio histórico inédito do escritor regionalista João Simões Lopes Neto (1865-1916). Quais eram as condições (e os limites) da apropriação da obra e do autor no período da edição? Para tanto, busco aliar uma história editorial do manuscrito a uma tipologia das notas de rodapé elaboradas pelos historiadores-editores. A edição de Terra Gaúcha visava legitimar as posições adotadas pelo grupo de historiadores-folcloristas marginal no âmbito do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul (IHGRS), criando um precursor nobre e uma narrativa de memória para seu projeto de escrita de história. Essa operação passou pela atualização científica do texto, através da inclusão de notas de rodapé bibliográficas e documentais, e pela concessão ideológica a teses então dominantes a respeito da formação do Rio Grande do Sul. Essa autorização parcial, no entanto, acabou por reforçar o veto à identidade profissional de historiador para Simões Lopes Neto.


Referência bibliográfica


CORADINI, Odaci Luiz. As missões da “cultura” e da “política”: confrontos e reconversões de elites culturais e políticas no Rio Grande do Sul (1920-1960). Estudos históricos, Rio de Janeiro, n. 32, 2003, p. 125-144.
GENETTE, Gérard. Paratextos editoriais. São Paulo: Ateliê Editorial, 2009.
GRAFTON, Anthony. As origens trágicas da erudição: pequeno tratado sobre a nota de rodapé. Campinas: Papirus, 1998.
GUTFREIND, Ieda. A historiografia rio-grandense. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 1992.
LOPES NETO, João Simões. Terra Gaúcha. Porto Alegre: Sulina, 1955.
MEYER, Augusto. Correspondência, 14 abr. 1954, Rio de Janeiro, para SIMÕES LOPES, Francisca Meirelles. Álbum Simoniano, Biblioteca Pelotense, p. 128.
MARTINS, Jefferson Telles. O Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul e o espaço social dos intelectuais: trajetória institucional e estudo das redes de solidariedade (e conflitos) entre intelectuais (1920-1956). Tese (Doutorado em História). Programa de Pós-Graduação em História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2016.
MICELI, Sergio. Intelectuais e Classe dirigente no Brasil (1920-1945). São Paulo: Difel, 1979.
NEDEL, Letícia Borges. Paisagens da Província: o regionalismo sul-rio-grandense e o Museu Júlio de Castilhos nos anos cinquenta. Dissertação (Mestrado em História Social). Programa de Pós-Graduação em História Social, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 1999.
NEDEL, Letícia Borges. Um passado novo para uma História em crise: regionalismo e folcloristas no Rio Grande do Sul. Tese (Doutorado em História). Instituto de Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em História, Universidade de Brasília, Brasília, 2005.
NEDEL, Letícia Borges, RODRIGUES, Mara de Mattos. Historiografia, crítica e autocrítica. Ágora, Santa Cruz do Sul, v. 11, n. 1, jan./jun. 2005, p. 161-186.
ORNELLAS, Manoelito de. Correspondência, 01 jan. 1954, Pelotas, para Editores da Editora Globo S. A., Porto Alegre. Álbum Simoniano, Biblioteca Pelotense.
ORNELLAS, Manoelito de. Gaúchos e beduínos: a origem étnica e a formação do Rio Grande do Sul: Rio de Janeiro: José Olympio, 1948.
ORNELLAS, Manoelito de. Prefácio. In: LOPES NETO, João Simões. Terra Gaúcha. Porto Alegre: Sulina, 1955, p. 7-8.
ORNELLAS, Manoelito de. Um pouco de Simões Lopes Neto. Correio do Povo, Porto Alegre, 16 mar. 1948, p. 4.
SILVEIRA, Daniela Oliveira. “O passado está prenhe dofuturo”: a escrita da história no Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul (1920-1930). Dissertação (Mestrado em História). Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2008.
SIMÕES LOPES, Francisca Meirelles. Correspondência, 04 jan. 1954, Pelotas, para ORNELLAS, Manoelito de. Porto Alegre. Álbum Simoniano, Biblioteca Pelotense.
SPALDING, Walter. Introdução. In: LOPES NETO, João Simões. Terra Gaúcha. Porto Alegre: Sulina, 1955, p. 9-12.
SPALDING, Walter. Tradições e superstições do Brasil Sul. Rio de Janeiro: Organizações Simões, 1955.
ZALLA, Jocelito. Quanto a Literatura fala à História: a ficção de Barbosa Lessa e a memória pública no Rio Grande do Sul. História da Historiografia, v. 16, 2014, p. 37-54.

Palavras-chave


Historiografia sul-rio-grandense; Nota de rodapé; Historiadores

Texto completo:

148-170


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i26.1144

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia