Trajetória de Maria Yedda Linhares: notas sobre a construção de um devir

Autores

  • Carmem Silvia da Fonseca Kummer Liblik Doutoranda em História - Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIS)

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i22.1121

Palavras-chave:

Formação acadêmica, Gênero, Profissionalização do historiador

Resumo

A trajetória de vida e profissional de Maria Yedda Linhares é o tema central desse artigo. Por meio da análise de entrevistas por ela concedidas, analisa-se como foi o processo da sua constituição como professora universitária e historiadora brasileira. Para além do conjunto de sua obra, a historiadora narra experiências pessoais e profissionais que estão articuladas, direta ou indiretamente, com sua formação, atuação profissional e identidade de historiadora. O incentivo de seus pais para se tornar independente financeiramente; o estímulo que recebeu em casa para a leitura e reflexão; a capacidade de se relacionar com um grupo grande de intelectuais; a ampla atuação em espaços institucionais e de pesquisa; o apoio e companheirismo de seu marido, José Linhares,são registros que marcam sua trajetória. Escolhemos trabalhar com a perspectiva de gênero como fio condutor da análise da trajetória desta historiadora, uma vez que em seus relatos aparecem experiências relacionadas direta ou indiretamente a esta questão

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carmem Silvia da Fonseca Kummer Liblik, Doutoranda em História - Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIS)

Graduada e mestre em História na Universidade Federal do Paraná, onde autualmente dedica-se ao doutorado (2013 - 2017). Sua pesquisa refere-se à história de vida e profissional de historiadoras brasileiras (1934-1990), contemplando duas gerações. Participante do Núcleo de Estudos de Gênero (UFPR). Bolsista Capes.

Downloads

Publicado

2017-01-31

Como Citar

LIBLIK, C. S. da F. K. Trajetória de Maria Yedda Linhares: notas sobre a construção de um devir. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 9, n. 22, 2017. DOI: 10.15848/hh.v0i22.1121. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1121. Acesso em: 2 jul. 2022.

Edição

Seção

Dossiê "Historiadores e historiadoras, esses desconhecidos: Quem e como se escreve a História"