Pintura de uma paisagem

A historicidade do político: o debate sobre representação e cidadania no Império Brasileiro (1823-1840)

Luisa Rauter Pereira, Hebert Faria de Sena

Resumo


O presente artigo analisa o debate político na Assembleia Constituinte de 1823 e na Câmara dos Deputados do Rio de Janeiro entre 1823 e 1840, evidenciando aspectos da historicidade do debate político. Mais precisamente, a forma da experiência que embasa as projeções da ação política, além das maneiras com que os fatos presentes, a história e o futuro foram imaginados pelos representantes políticos no debate sobre o problema da representação política. Concluímos que há uma diferença marcante neste âmbito entre os anos 1823 e 1840, que pode ser interpretado como um processo de maior historicização da experiência expressa na linguagem política. Nosso estudo pretende contribuir para a História da Historiografia, para a Teoria da História e para a História Política do Brasil Imperial, chamando a atenção para a importância da linguagem parlamentar como local de transformação da experiência da historicidade


Palavras-chave


Experiência; Linguagem; Historiografia brasileira

Texto completo:

258-274


DOI: https://doi.org/10.15848/hh.v0i22.1056

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia