A emergência dos sujeitos sociais na historiografia sobre a Guerra do Contestado

  • Liz Andrea Dalfré Universidade Tuiuti do Paraná
Palavras-chave: Ação, Brasil, Historiografia

Resumo

O objetivo desta reflexão é analisar o percurso historiográfico sobre o Movimento do Contestado e demonstrar como este conflito foi pensado, principalmente academicamente, ao longo dos séculos XX e XXI. Interessa verificar como os estudiosos do tema entenderam a participação dos atores sociais que se reuniram nas Cidades Santas, opondo resistência ao exército e aos governantes republicanos entre os anos de 1912 e 1916. Inicialmente foram resgatadas as primeiras narrativas sobre a guerra, com o propósito de verificar qual olhar sobre os rebeldes foi veiculado. Em seguida, foram analisadas obras paradigmáticas para a historiografia acadêmica sobre o tema, produzidas durante a segunda metade do século XX e primeira década do século XXI. Nestes estudos, foi observado a maneira como os pesquisadores compreenderam a ação dos grupos envolvidos no conflito e os caminhos adotados nesses estudos à medida que novas perspectivas teóricas foram incorporadas. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Liz Andrea Dalfré, Universidade Tuiuti do Paraná
Doutora em História, especialista em História da América e historiografia latino americana
Publicado
2017-07-04
Como Citar
DALFRÉ, L. A. A emergência dos sujeitos sociais na historiografia sobre a Guerra do Contestado. História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, v. 10, n. 23, 4 jul. 2017.
Seção
Artigo