Temporalidade, Historicidade e Presença em uma Análise do Prólogo do Picatrix (séc. XIII)

Autores

  • Aline Dias da Silveira Universidade Federal de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.15848/hh.v0i22.1028

Palavras-chave:

Temporalidades, História medieval, Historicidade

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar uma reflexão historiográfica, cujos fundamentos são encontrados nos conceitos de temporalidade e historicidade concebidos por Martin Heidegger. Para tanto, serão apresentados alguns aspectos da obra Ser e Tempo (Sein und Zeit), articulados com as interpretações e considerações de outros autores como Reinhart Koselleck, Hans Ulrich Gumbrecht, Cezar Luís Seibt e Valdei Lopes Araújo. Dessa forma, pretende-se contribuir com a construção das categorias historiográficas de temporalidade e historicidade. No segundo momento do texto, à guisa de exemplo, essas categorias serão aplicadas na análise de um documento medieval de astromagia, traduzido do árabe para o castelhano e o latim na corte do rei Afonso X de Castela, o Picatrix. Constata-se que a sociedade medieval, por se tratar de uma “cultura de presença” como propõe Gumbrecht, é um rico laboratório para a compreensão da fluidez das temporalidades e do fenômeno histórico da transculturalidade

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Aline Dias da Silveira, Universidade Federal de Santa Catarina

Professora adjunta do departamento de História da Universidade Federal de Santa Catarina. Coordenadora do Núcleo Interdisciplinar de Estudos Medievais.

Downloads

Publicado

2017-01-31

Como Citar

DIAS DA SILVEIRA, A. Temporalidade, Historicidade e Presença em uma Análise do Prólogo do Picatrix (séc. XIII). História da Historiografia: International Journal of Theory and History of Historiography, Ouro Preto, v. 9, n. 22, 2017. DOI: 10.15848/hh.v0i22.1028. Disponível em: https://historiadahistoriografia.com.br/revista/article/view/1028. Acesso em: 23 set. 2021.

Edição

Seção

Artigo